Linux Cristão?

linux-ubuntu-cristao-300x225

É isso mesmo! Enquanto há radicais que insistem que “computador é coisa do demo”, mentes mais racionais decidem usar a tecnologia a serviço da fé. O Ubuntu CE (Christian Edition) é uma variante do Ubuntu Linux para usuários cristãos (não importa se protestantes, evangélicos ou católicos, dizem os desenvolvedores) que traz, além de todas as características do Ubuntu tradicional, software e modificações que os ajudarão a a viver uma “vida digital” condizente com sua fé.

Baseado no Ubuntu 9.04 (a versão mais recente), o Ubuntu CE tem software como o Xiphos e E-Sword, para estudo da Bíblia, OpenSong para facilitar a regência de corais e organização de partituras para missas e cultos, GnomeOffice como suíte Office, GnomeCash para organizar as finanças da congregação e um filtro de navegação na internet pré-configurado, baseado no DansGuardian, para evitar acesso a conteúdo impróprio.

O software é distribuído gratuitamente, na forma de uma imagem ISO de 700 MB para ser gravada em um disco CD-R. O processo de instalação é idêntico ao do Ubuntu tradicional, e é possível “converter” ao cristianismo um sistema Ubuntu já instalado ( ubuntuce.com/convert.htm ).

Embora não seja uma versão oficial do Ubuntu, e portanto não tenha direito ao suporte técnico da Canonical, o Ubuntu CE conta com um fórum na internet onde os usuários podem buscar auxílio junto a outros membros da comunidade.

O Ubuntu CE, assim como o próprio Ubuntu, é gratuito e está disponível em seu site oficial.
Fonte: Geek

Muito interessante!! Se Linux é de Deus, o Windows é do Demo?
Com isso cheguei a uma interessante conclusão! O céu é de graça, logo se alguém te cobrar por isso, é do Demo…
hehehehe…

Saiba como se proteger de golpes no microblog Twitter

O aumento da popularidade do Twitter tem atraído cada vez mais usuários para a rede social. Até mesmo apresentadores de TV, atores e outros artistas estão fazendo uso do serviço para divulgar suas atividades, trabalhos e ideias. Como sempre, a popularidade em sites web é acompanhada de problemas – nesse caso, ataques de criminosos virtuais.

Spams

Criminosos podem criar usuários fantasmas ou “robôs” (“bots”) no Twitter para enviar mensagens automatizadas. Eles podem, inclusive, “seguir” seu perfil como uma maneira de convidá-lo a seguir o perfil falso, o que fará com que você receba, mais tarde, as mensagens contendo links para páginas maliciosas ou mesmo propagandas.

O uso massivo de robôs e mensagens automáticas também já foi usado para envenenar os assuntos populares, ou “Trending topics”.

Perfis maliciosos normalmente têm poucas mensagens e todas estão relacionadas ao golpe. Isso não é regra, mas é uma característica a ser observada que poderá facilmente identificar vários robôs.

Cuidado com a URL

O Twitter limita suas mensagens a 140 caracteres. Alguns links (URLs) excedem por esse limite; outros são pelo menos longos o suficiente para tornarem impossível a adição de qualquer mensagem significativa, mesmo que sucinta. Por causa disso, é comum o uso dos serviços de encurtamento de URL, como TinyURL, Bit.ly e outros, de modo a possibilitar a troca de links dentro dos 140 caracteres.

Infelizmente, o link encurtado esconde a URL real, forçando usuários a clicarem em um link que pode levar para qualquer lugar. Além disso, cria-se um ponto único de falha: se o serviço de encurtamento for invadido por um criminoso, ele poderia direcionar todos os links para um vírus ou outra página indesejada. Um caso assim já aconteceu com o serviço Cli.gs, embora o redirecionamento não tenha sido malicioso.

Existem plugins para o Firefox que permitem que você visualize o link completo antes de clicar, no entanto eles nem sempre estarão disponíveis enquanto você estiver navegando no Twitter em outros computadores, por exemplo. O cliente TwitterFox, por exemplo, também “estende” URLs do bit.ly e do TinyURL.

Embora isso seja positivo, o problema permanece: são muitos serviços de encurtamento de URL. Por um lado, é preciso usar vários serviços para não sobrecarregar nenhum deles. No entanto, isso também impossibilita que todas as URLs completas poderão ser vistas, já que os programas teriam que ser constantemente atualizados para incluir a possibilidade de visualizar o link completo em cada novo serviço que aparecer.

Lembre-se: você não sabe para onde o link pode levar. Observe a barra de endereço e a barra de status no navegador e pare o carregamento da página se o endereço for suspeito. Desconfie sempre!!

Não importa se é uma mensagem simples, direta ou uma “@resposta”: qualquer uma delas pode conter um vírus ou link para uma página falsa. Mesmo que ela venha de um conhecido seu, ele ainda pode ter sido infectado, ou mesmo ter caído no mesmo golpe que agora está sendo repassado a você.

Os próprios vírus podem enviar mensagens pelo Twitter em nome dos usuários infectados. É o que já está fazendo algumas variantes da praga conhecida como ‘Koobface’.
Na semana passada, um golpe enviava links para o site “twitter.tk”, onde uma página clonada do Twitter roubava as credencias de acesso nela digitadas. O perfil roubado era usado para enviar várias mensagens diretas aos seus contatos, disseminando o mesmo link.

Embora nenhum vírus tenha sido propagado até agora, é bem provável que, em um momento oportuno, os criminosos irão usar todos os usuários e senhas roubados para enviar links para pragas digitais.

Isso, somado ao problema dos links explicado acima, gera uma situação perigosa.

Jogos, serviços diversos, links para imagens – há uma infinidade de serviços que interagem com o Twitter, e novos estão sendo criados toda semana. Eles podem criar alguma nova funcionalidade, ou concorrer com uma já existente.

Esses serviços podem conter falhas de segurança diversas. Este mês de julho é o “mês de falhas do Twitter”. O especialista em segurança Aviv Raff está divulgando diariamente vulnerabilidades em serviços que trocam informações com o Twitter para alertar os responsáveis por esse tipo de site a respeito dos cuidados de segurança necessários.

Não há muito que se possa fazer a respeito, mas é preciso ter conhecimento que mesmo esses sites podem comprometer sua conta no Twitter e permitir que um criminoso a utilize de forma maliciosa.

Fonte: G1

Mulher narra assalto a banco pelo Twitter

Em meio a um assalto a uma agência bancária em Nova York (EUA), a produtora de web norte-americana Annemarie Dooling resolveu agir. Começou a narrar pelo Twitter toda a ação do bandido.

Segundo o site “Gawker”, Dooling até tentou avisar a polícia pelo telefone ou e-mail, mas a trackball (bolinha que serve como um mouse) de seu smartphone estava quebrado, deixando o Twitter como sua única opção.

“Um homem aqui na agência é um policial de trânsito que tinha uma melhor visão de tudo. A caixa ficou tremendo, mas se saiu muito bem. Não tinha ideia do assalto até que a porta da agência foi fechada”, escreveu Dooling, ou TravelingAnna, seu nick no Twitter.

Os relatos seguem: “Eles pegaram o cara. O policial disse que o assaltante foi focado por diversas câmeras da Penn station (estação de metrô da cidade) #dançou”, e já depois do assalto: “Quatro de nós ficamos para averiguação. É o aniversário de uma mulher que ficou no grupo e ela me ofereceu uma barra de cereais. Ela é muito bonitinha. Será que podemos ir?”

Já depois do susto, Dooling afirma que na verdade nem ficou assustada porque mal percebeu que tudo era um assalto. “O banco foi muito profissional, nem cheguei a ter de me deitar no chão”. No final ela conclui reclamando que seguia detida no banco e que havia perdido a trackball de seu celular.

Fonte: G1

Maquina de Escrever no Twitter?

twitteira

A Oomlout, empresa britânica especializada na venda de peças e kits para aficcionados por eletrônica, desenvolveu um meio curioso para ficar por dentro de tudo o que é dito no Twitter: conectou à internet uma máquina de escrever elétrica, que transcreve automaticamente em papel sulfite, em duas vias com papel carbono, todas as mensagens.

A máquina de escrever ‘twitteira’, denominada “TwypeWritter”, utiliza máquina de escrever Smith Corona modelo XL 2700 ligada a uma placa Arduino, popular por seu baixo custo, expansibilidade e mentalidade Open Source. A placa foi conectada a uma interface de rede que, por sua vez, foi ligada à internet.

Um software funcionando na Arduino acompanha constantemente o Twitter em busca de mensagens que tenham uma “hashtag” (nome dado às palavras-chave usadas pelos usuários) específica. O texto é recebido através de uma interface serial e transcrito para o papel.

Os hackers não documentaram a interface entre a Arduino e a máquina de escrever, mas liberaram o código-fonte do software na página oficial do projeto, oomlout

Fonte: Odia

Incrível!! Já temos uma nova função para aquela máquina de escrever parada…

Notebook Mais resistente do Mundo

A Panasonic anunciou um notebook resistente a quedas de altura razoável, animais selvagens e tiros de armas de fogo.

note

O Toughbook CF-30 é equipado com um processador de 1.6 GHz, 1 GB de RAM e 80 GB de espaço em disco, uma configuração não muito atraente. Mas de acordo com a fabricante ele é o laptop mais resistente do mundo.

O Toughbook CF-30 é quase um ‘Highlander’ A equipe da Forbes, revista de economia, decidiu realizar testes para comprovar as afirmações da Panasonic. Os primeiros foram simples, mas capazes de destruir qualquer outro aparelho: derrubá-lo ao chão, arremessá-lo pela sala como uma bola de boliche, encharcar o teclado com refrigerante, triturar biscoitos entre o teclado e a tela e usá-la como alvo para dardos. Após tudo isso, a máquina continuou funcionando perfeitamente.

Então tentou-se algo radical: um jornalista levou o laptop até o parque Six Flags Discovery Kingdom, na Califórnia, e com o auxílio de um tratador o colocou dentro da jaula de um tigre branco siberiano, que fez dele seu novo brinquedinho.

Mas depois de patadas, lambidas e alguns tombos, o computador ainda funcionava. Um elefante de quatro toneladas e meia também participou da sessão de testes: pisoteou o laptop, sapateou, o arremessou com a tromba e, de novo, nada aconteceu.

A última escala foi em uma galeria de tiro. Vários disparos de uma pistola calibre 22 foram efetuados contra a máquina. Uma das balas atravessou a tela, mas o micro continuou funcionando, ligado a um monitor externo. Ele só “morreu” quando o repórter, sem opções, “apelou”: deu um tiro de rifle Springfield 1911 calibre 45.

Fonte: Odia

Inacreditável… Depois do Celular mais resistente do mundo, agora tem notebook mais resistente!!
Detalhe que ele pode até ser usado por um elefantes descuidado, que sem querer, venha a pisar nele…

Gostei mesmo do fato de ele servir de escudo contra tiros de pistola… Aqui no Rio de Janeiro, isso é fundamental!

Quero saber se ele tem touch screeen!! (2) Não resisti, tive que fazer a mesma piada (sem graça) de novo!

Jogo no Twitter

Entre notícias, fofocas, piadas e comentários sobre o ser e o nada, mensagens enigmáticas começaram a circular no Twitter. Pessoas adquirindo armas, alugando esconderijos, tramando a morte de adversários. Por sorte, como boa parte do que passa pelo microblog, é só brincadeira. Chama-se Spymasters o jogo que se infiltrou na rede e conquista adeptos. Se algum contato mandar uma mensagem convidando-o para entrar numa spy ring (grupo de jogadores), saiba que se trata de mais um que entrou na onda.

Não é preciso esperar um convite, basta acessar http://playspymaster.com. Spymaster é baseado no Twitter e a quantidade de seguidores do seu perfil e de seguidores inscritos no Spymaster são determinantes para seu sucesso no submundo.

O primeiro passo é escolher uma organização para se filiar: a americana CIA, a britânica M16, ou a russa FSB. A escolha influencia na característica do seu perfil como agente, e não pode ser trocada. A mecânica é similar a de outros jogos de estratégia. O personagem tem, por atributos, pontuações, que pesam no desenrolar do jogo. Por exemplo, você terá sempre pontos de Saúde (Health) e Energia (Energy). Para cumprir tarefas, gasta-se pontos de energia. Se ela chegar a nível muito baixo, fica-se impedido de executar missões. E para recuperar esses pontos é preciso tempo.

O primeiro passo é ir ao mercado negro (Black Market) adquirir armas e equipamentos. Essas peças têm preços e poder de ataque ou defesa variados. Imagine que você precisa delas para equipar seu grupo de espiões (spy ring). Depois, busque missões (Tasks) para ser pago. Cada missão tem um gasto de energia e um nível de risco baixo, médio ou alto (low, mid, high). Para algumas missões é preciso armas específicas. Afinal de contas, uma faca pode bastar para coagir um adversário, mas não para invadir uma embaixada.

Trama assassina

Outra maneira de ganhar poder é eliminar outros agentes. É preciso escolher bem os adversários, dos quais o jogador sabe apenas em que nível está no jogo, e o grau de risco. Só depois de tramar a emboscada é que se descobre a probabilidade de sucesso. Mas então pode ser tarde. Se a missão for cumprida, o jogador ganha todos os equipamentos do rival e passa a controlar sua rede de espiões. Se apenas o ferir, pode faturar parcialmente. Se perder ou for ferido, o jogador perde posses e pontos. No cálculo do combate pesam seus pontos de ataque e defesa e a quantidade de seguidores.

Espião de bolso cheio

O jogador precisa sempre ter recursos em caixa para comprar equipamentos. Uma estratégia e cumprir várias tarefas e comprar um esconderijo (safehouse). O abrigo pode ser alugado, o que garante uma renda. Quando conseguir acumular um montante considerável, o melhor é transferir uma parte para uma conta na Suíça. Mas isso não vale para iniciantes. Suas armas podem ser vendidas no mercado negro, mas ela perdem 60% do valor na transação. Permitir que o Twitter publique seus passos no jogo também rende alguns trocados. Mas, nesse ramo, o segredo pode valer mais.

Fonte: Odia

Empresa lança o celular mais resistente do mundo

s1

A montadora Land Rover decidiu se unir à empresa Sonim para criar o celular mais resistente do mundo. Batizado de S1, o aparelho “indestrutível” passou no teste depois de ser atirado do alto de um edifício, ser pisoteado por um elefante e assado em um forno.

A ideia é vender esse equipamento principalmente para operários de construção e pessoas que trabalham em ambientes propensos a acidentes.

Durante o teste de resistência, o celular S1 também foi “atropelado” por um jipe, ficou imerso em lama e aguentou o peso de um elefante.

Apesar da aparência robusta, o celular traz recursos comuns a outros equipamentos do gênero, como câmera de 2.0 megapixel e um toque com volume bem alto, que pode ser ouvido acima do som de máquinas em operação. O fabricante confia tanto na robustez do celular que ele vem com três anos de garantia.

Por enquanto, o S1 está à venda apenas em supermercados da rede Tesco, no Reino Unido. Em plano pré-pago, o valor do celular é de R$ 797.

Fonte: Epoca

Só lamento que não tenha a função Touchscreen… Ficou devendo!